Início Formação Teológica O Único Salvador

O Único Salvador

O que diferencia o Cristianismo das demais religiões é a salvação eterna de cada pessoa, conquistada pela Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Isto é o "essencial"; aquilo que os Apóstolos pregavam com todo ardor: Cristo morto e ressuscitado, a nossa salvação!

São Pedro, em Jerusalém, deixa bem claro aos judeus: "Em nenhum outro há salvação, porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devemos ser salvos" (At 4,12). Essa palavra do príncipe dos Apóstolos é precisa ser repetida hoje em todos os lugares, para que ninguém seja enganado:

"Em nenhum outro há salvação".

Jesus é o único Salvador, pois "nenhum outro nome foi dado aos homens pelo qual devemos ser salvos". O mesmo São Pedro explica-nos que essa salvação eterna foi conquistada "não por bens perecíveis, como a prata e o ouro... mas pelo precioso sangue de Cristo, o Cordeiro imolado" ( I Pe 1,18). "Carregou os nossos pecados em Seu corpo sobre o madeiro, para que, mortos aos nossos pecados, vivamos para a justiça. Por fim, por suas chagas fomos curados" (1 Pe 2,24).

A salvação que Cristo nos conquistou, custou o preço da sua vida divina e humana. Era necessário um sacrifício de valor infinito para reparar a ofensa infinita que o pecado provoca contra a Majestade (infinita) de Deus. Foi preciso a oferta, a oblação, de uma vida divina (mas também humana) para satisfazer a justiça divina. O pecado fere a majestade infinita de Deus, e só pode ser reparado pelo sacrifício da vida do próprio Deus.

Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador, não teve dúvidas em oferecer ao Pai o sacrifício teândrico (humano-divino) de sua Pessoa, para resgatar todos aqueles que pela sua Encarnação fez seus irmãos. É a maior prova de amor que já existiu. Esta verdade levou São Paulo a exclamar, quando escreveu aos romanos:

"Eis uma prova maravilhosa do amor de Deus para conosco: quando ainda éramos pecadores Cristo morreu por nós" (Rom 5,8).

É pela fé no sangue do Senhor que somos justificados perante Deus Pai, para vivermos uma vida nova, aqui e na eternidade. A nossa conta com a justiça foi paga por Jesus.

"Se confessares bem alto com tua boca que Jesus é o Senhor, e se creres em teu coração que Deus o ressuscitou entre os mortos, serás salvo. Porque é crendo com o coração que se obtém a justiça, e é professando com palavras que se chega à salvação" (Rom 10,9-10).

O Senhor quis que a salvação chegasse até nós pela sua Santa Igreja Católica, o seu Corpo Místico, "Sacramento universal da salvação da humanidade". Ao se despedir dos discípulos, antes da sua Ascensão ao céu, Jesus colocou as condições para a salvação: "Quem crer e for batizado será salvo, quem não crer será condenado" (Mc 16,16).

Apesar de toda essa prova extraordinária do amor de Deus por nós, muitos batizados renegam essa fé e vão buscar a salvação onde ela não existe. Abandonando o verdadeiro e único Salvador, e a verdadeira e única Igreja, vão buscar refúgio espiritual em tudo que é abominável a Deus, como nos ensina a Bíblia: "adivinhação, astrologia, agouros, feiticismo, magia, espiritismo, superstições, evocação dos mortos" (Deut 18,10-13). A essa lista do Deuteronômio podemos acrescentar hoje uma série de outras práticas que negam a salvação pela morte e Ressurreição de Jesus, e a trocam por uma série de outras práticas esotéricas: horóscopos, necromancia, quiromancia, búzios, pirâmides, cristais, tarô, superstições, crenças em gnomos, duendes, mapa astral, numerologia, Nova Era, etc...

Isto nega a fé cristã, ofende a Deus, é culto idolátrico. O cristão que faz uso dessas práticas trai a sua fé, abandona Jesus Cristo, despreza a sua santa Cruz, as suas santas chagas, os seus méritos e o seu imenso amor por nós. É verdade que muitos o fazem por ignorância... Mas já é hora de acordar desse sono de morte!

A palavra de Deus nos adverte severamente de que tudo isto causa uma contaminação espiritual perigosa.

"Não vos dirijais aos espíritas nem aos adivinhos: não os consulteis para que não sejais contaminados por eles" (Lev19,31).

Essa contaminação consiste numa certa influência que o Tentador exerce sobre a pessoa que vai buscar conhecimento, poder, etc, "fora" de Deus e contra as suas Leis. Eis o que diz a Palavra de Deus, muito claramente: "Se alguém se dirigir aos espíritas ou aos adivinhos para fornicar com eles, voltarei o meu rosto contra esse homem..." (Lev 20,6).

São palavras severas do Senhor sobre esta questão.

Só há uma salvação e um único salvador: Jesus Cristo! Só há uma Igreja, a qual Jesus incumbiu de levar a salvação, através dos sete Sacramentos, a Igreja Católica. "Fora da Igreja não há salvação", nos ensina o Catecismo da Igreja ; isto é, "toda salvação vem de Cristo - Cabeça através da Igreja que é o seu Corpo" (846). Aqueles que, conscientemente rejeitarem a Igreja, rejeitarão também a salvação. São Paulo alertou os coríntios:

"As coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam-nas aos demônios e não a Deus. Não quero que tenhais comunhão com os demônios. Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios" (1 Cor 10,20-22).

Todo culto prestado a qualquer Entidade, que não seja Deus, quem o recebe é o demônio e, aquele que presta esse culto faz comunhão com ele. Aí está o perigo das práticas esotéricas e supersticiosas.

São Paulo chama a Igreja de "Casa de Deus" e diz que ela é "a coluna e o sustentáculo da verdade" (1Tm3,15).

Falando a seu discípulo e bispo S.Timóteo, ele diz que:

"Deus quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade" (1Tm2,4).

É importante notar que o Apóstolo relaciona diretamente a salvação com o "conhecimento da verdade". Essa verdade, Jesus confiou à sua Igreja, para que levasse a todos os homens de todos os tempos e de todos os lugares.

"Quem vos ouve, a Mim ouve, quem vos rejeita, a Mim rejeita; e quem Me rejeita, rejeita aquele que Me enviou" (Lc10,16).

Só a eles o Senhor confiou o encargo de ensinar, sem erro, com a assistência do Espírito Santo: "Ide pelo mundo inteiro, pregai o Evangelho a todas as nações, ensinando-as a observar tudo o que eu prescrevi" (Mt28,18).

Fonte: site comunidade shalom

O que diferencia o Cristianismo das demais religiões é a salvação eterna de cada pessoa, conquistada pela Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Isto é o "essencial"; aquilo que os Apóstolos pregavam com todo ardor: Cristo morto e ressuscitado, a nossa salvação!

São Pedro, em Jerusalém, deixa bem claro aos judeus: "Em nenhum outro há salvação, porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devemos ser salvos" (At 4,12). Essa palavra do príncipe dos Apóstolos é precisa ser repetida hoje em todos os lugares, para que ninguém seja enganado:

"Em nenhum outro há salvação".

Jesus é o único Salvador, pois "nenhum outro nome foi dado aos homens pelo qual devemos ser salvos". O mesmo São Pedro explica-nos que essa salvação eterna foi conquistada "não por bens perecíveis, como a prata e o ouro... mas pelo precioso sangue de Cristo, o Cordeiro imolado" ( I Pe 1,18). "Carregou os nossos pecados em Seu corpo sobre o madeiro, para que, mortos aos nossos pecados, vivamos para a justiça. Por fim, por suas chagas fomos curados" (1 Pe 2,24).

A salvação que Cristo nos conquistou, custou o preço da sua vida divina e humana. Era necessário um sacrifício de valor infinito para reparar a ofensa infinita que o pecado provoca contra a Majestade (infinita) de Deus. Foi preciso a oferta, a oblação, de uma vida divina (mas também humana) para satisfazer a justiça divina. O pecado fere a majestade infinita de Deus, e só pode ser reparado pelo sacrifício da vida do próprio Deus.

Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador, não teve dúvidas em oferecer ao Pai o sacrifício teândrico (humano-divino) de sua Pessoa, para resgatar todos aqueles que pela sua Encarnação fez seus irmãos. É a maior prova de amor que já existiu. Esta verdade levou São Paulo a exclamar, quando escreveu aos romanos:

"Eis uma prova maravilhosa do amor de Deus para conosco: quando ainda éramos pecadores Cristo morreu por nós" (Rom 5,8).

É pela fé no sangue do Senhor que somos justificados perante Deus Pai, para vivermos uma vida nova, aqui e na eternidade. A nossa conta com a justiça foi paga por Jesus.

"Se confessares bem alto com tua boca que Jesus é o Senhor, e se creres em teu coração que Deus o ressuscitou entre os mortos, serás salvo. Porque é crendo com o coração que se obtém a justiça, e é professando com palavras que se chega à salvação" (Rom 10,9-10).

O Senhor quis que a salvação chegasse até nós pela sua Santa Igreja Católica, o seu Corpo Místico, "Sacramento universal da salvação da humanidade". Ao se despedir dos discípulos, antes da sua Ascensão ao céu, Jesus colocou as condições para a salvação: "Quem crer e for batizado será salvo, quem não crer será condenado" (Mc 16,16).

Apesar de toda essa prova extraordinária do amor de Deus por nós, muitos batizados renegam essa fé e vão buscar a salvação onde ela não existe. Abandonando o verdadeiro e único Salvador, e a verdadeira e única Igreja, vão buscar refúgio espiritual em tudo que é abominável a Deus, como nos ensina a Bíblia: "adivinhação, astrologia, agouros, feiticismo, magia, espiritismo, superstições, evocação dos mortos" (Deut 18,10-13). A essa lista do Deuteronômio podemos acrescentar hoje uma série de outras práticas que negam a salvação pela morte e Ressurreição de Jesus, e a trocam por uma série de outras práticas esotéricas: horóscopos, necromancia, quiromancia, búzios, pirâmides, cristais, tarô, superstições, crenças em gnomos, duendes, mapa astral, numerologia, Nova Era, etc...

Isto nega a fé cristã, ofende a Deus, é culto idolátrico. O cristão que faz uso dessas práticas trai a sua fé, abandona Jesus Cristo, despreza a sua santa Cruz, as suas santas chagas, os seus méritos e o seu imenso amor por nós. É verdade que muitos o fazem por ignorância... Mas já é hora de acordar desse sono de morte!

A palavra de Deus nos adverte severamente de que tudo isto causa uma contaminação espiritual perigosa.

"Não vos dirijais aos espíritas nem aos adivinhos: não os consulteis para que não sejais contaminados por eles" (Lev19,31).

Essa contaminação consiste numa certa influência que o Tentador exerce sobre a pessoa que vai buscar conhecimento, poder, etc, "fora" de Deus e contra as suas Leis. Eis o que diz a Palavra de Deus, muito claramente: "Se alguém se dirigir aos espíritas ou aos adivinhos para fornicar com eles, voltarei o meu rosto contra esse homem..." (Lev 20,6).

São palavras severas do Senhor sobre esta questão.

Só há uma salvação e um único salvador: Jesus Cristo! Só há uma Igreja, a qual Jesus incumbiu de levar a salvação, através dos sete Sacramentos, a Igreja Católica. "Fora da Igreja não há salvação", nos ensina o Catecismo da Igreja ; isto é, "toda salvação vem de Cristo - Cabeça através da Igreja que é o seu Corpo" (846). Aqueles que, conscientemente rejeitarem a Igreja, rejeitarão também a salvação. São Paulo alertou os coríntios:

"As coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam-nas aos demônios e não a Deus. Não quero que tenhais comunhão com os demônios. Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios" (1 Cor 10,20-22).

Todo culto prestado a qualquer Entidade, que não seja Deus, quem o recebe é o demônio e, aquele que presta esse culto faz comunhão com ele. Aí está o perigo das práticas esotéricas e supersticiosas.

São Paulo chama a Igreja de "Casa de Deus" e diz que ela é "a coluna e o sustentáculo da verdade" (1Tm3,15).

Falando a seu discípulo e bispo S.Timóteo, ele diz que:

"Deus quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade" (1Tm2,4).

É importante notar que o Apóstolo relaciona diretamente a salvação com o "conhecimento da verdade". Essa verdade, Jesus confiou à sua Igreja, para que levasse a todos os homens de todos os tempos e de todos os lugares.

"Quem vos ouve, a Mim ouve, quem vos rejeita, a Mim rejeita; e quem Me rejeita, rejeita aquele que Me enviou" (Lc10,16).

Só a eles o Senhor confiou o encargo de ensinar, sem erro, com a assistência do Espírito Santo: "Ide pelo mundo inteiro, pregai o Evangelho a todas as nações, ensinando-as a observar tudo o que eu prescrevi" (Mt28,18).

Fonte: comunidade católica shalom

 
Rádio Fraternidade
Campanha Outubro

10%
A Campanha de 
Outubro foi um
sucesso! Muito
obrigado. Conte com
nossas orações! 
Pe.Ladislau Molnár. 

Pesquisa no Site
Mensagens da Bíblia
Não julgueis, para que não sejais julgados. (Mateus 7, 1)
Eventos