Início Fundador Biografia

Fundador - Biografia

Padre Ladislau Molnár, o Padre da Esperança!

Padre Ladislau nasceu na cidade húngara de Székesfehérvár, no dia 03 de julho de 1931 e foi batizado no dia 12 de julho do mesmo ano. Seus pais, János e Erzsébet, profundamente católicos, cultivavam a oração em família e a freqüência assídua à Santa Missa. Sua mãe tinha por hábito ler diariamente a Bíblia, momento que aproveitava para catequizar as crianças.

Em 16 de junho de 1938 fez a sua primeira comunhão. Em 1943, com 12 anos, perdeu sua mãe. Buscou junto a Maria Santíssima o consolo e o apoio materno que lhe faltaram. Desde muito cedo trabalhou como líder paroquial entre os jovens, sendo crismado em 25 de maio de 1947.

Ainda muito jovem, encontrou-se com o Cardeal Joseph Mindszenty. Aquele encontro plantou uma semente de vocação sacerdotal no seu coração. Padre Ladislau sempre o admirou por sua postura firme, bem como por seu exemplo de vida. Aprendeu com ele a nunca perder a esperança, mesmo na mais dura perseguição: “Lembro bem do Cardeal Mindszenty. Esteve mais na prisão do que fora dela: primeiro pelos fascistas, depois pelos comunistas. Nunca vou esquecer a data: agosto de 1948. Como líder paroquial, fui chamado à cidade de Esztergom, na casa do Cardeal. Recebeu-me junto com seu secretário, Andrez Zaccar. Ele conversou comigo sobre o perigo que o ateísmo representava para o mundo livre. Disse: 'Nós, católicos, não devemos ficar parados. Mesmo que haja sacrifícios, devemos trabalhar por Deus, pela Igreja e pela Pátria'.”

Padre Ladislau, ainda Seminarista, procurou o Bispo em Székesfehérvár, pedindo que não cedesse às pressões do regime comunista pelo rompimento com o Roma. Ouviu naquela ocasião: "Devemos romper, ou todos morreremos". Obediente, porém, profundamente desapontado, Padre Ladislau saiu, batendo a porta. Graças à sua posição firme, e suas palavras de encorajamento, três dias depois, chamado pelo Bispo, recebeu dele uma resposta diferente: "Não nos separaremos de Roma".

Em 1952, com o fechamento dos Seminários, todos os seminaristas foram expulsos. Diante daquela situação, o então seminarista partiu para a cidade de Szeged, onde funcionava de forma limitada um Seminário. Recebendo uma resposta afirmativa do Reitor, contatou pessoalmente cada um dos 44 ex-seminaristas que, após uma breve resistência, aceitaram a sugestão e retornaram ao Seminário.

Em 19 de junho de 1957 foi ordenado sacerdote com o Lema: “Os Judeus pedem sinais, os gregos reclamam a sabedoria; nós, porém, pregamos Cristo crucificado” (1 Cor 1, 22a). Celebrou a primeira Missa em 23 de junho de 1957, domingo, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Seguiram-se 09 anos de um difícil trabalho pastoral em Káloz e Budapeste; um tempo de perseguição e prisão. Padre Ladislau organizou pequenos grupos de oração, de forma clandestina, trabalhando a oração do terço em grupos de cinco jovens. Muitos deles ainda vivem nos dias de hoje.

Em agosto de 1966, sob intensa perseguição e constantes ameaças de morte, conseguiu sair da Hungria. Partiu para Roma, onde trabalhou um ano com o monsenhor Joseph Zagon, na Pastoral dos imigrantes húngaros. Desejando ser missionário na África, pediu o visto de entrada no Congo, porém, devido à guerra civil no país, não foi aceito. Em 1967, foi convidado pelos beneditinos a vir para o Brasil. Aceitando, fixou-se em São Paulo, no bairro Morumbi, onde auxiliou na Paróquia Santa Cecília.

Em 1968, ao visitar em Porto Alegre o Dr. Luiz Mezgar, sacerdote húngaro, foi convidado pelo Cardeal Dom Vicente Scherer a trabalhar no Sul, no apoio aos imigrantes húngaros. Aceito o convite, foi incardinado no dia 11 de novembro de 1968 e nomeado para a recém formada Paróquia São Martinho.

Nos anos 70 engajou-se no Movimento de Renovação Carismática. Em seguida, dedicou-se a propagar a Espiritualidade Carismática, tendo participado de Congressos Internacionais e auxiliado no crescimento de várias Comunidades Carismáticas, entre elas, a Canção Nova. A partir de 1985, Padre Ladislau sentiu o chamado de Deus a uma obra nova. Conheceu na Europa várias comunidades leigas inspiradas no Movimento Carismático. Aos poucos, foi-se delineando a formação de uma Obra inspirada nas palavras e no testemunho do Cardeal Mindszenty.

Após um longo período de discernimento, Padre Ladislau e seus colaboradores, com aprovação do Conselho Paroquial da Paróquia São Martinho, fundaram a Fraternidade Nossa Senhora da Evangelização no dia 04 de dezembro de 1990 com esse CARISMA: “Ser sinal visível e permanente da presença viva, amorosa e misericordiosa de Jesus Cristo, hoje no mundo”.

Rádio Fraternidade
Campanha Outubro

10%
A Campanha de 
Outubro foi um
sucesso! Muito
obrigado. Conte com
nossas orações! 
Pe.Ladislau Molnár. 

Pesquisa no Site
Mensagens da Bíblia
Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque a cada dia basta o seu cuidado. (Mateus 6, 34)
Eventos