Início Igreja Por que o Católico NÃO pode ser Espírita?

Por que o Católico NÃO pode ser Espírita?

the futureCada religião possui seus dogmas, seus artigos de fé. Se duas religiões possuíssem os mesmos pensamentos e dogmas não seriam duas, mas apenas uma. Por isso, uma pessoa não pode participar de duas religiões (nem quando ela é apresentada como uma filosofia), pois não cumprirá honestamente nem uma, nem outra.

O católico não pode ser espírita porque:

O católico admite a possibilidade do Mistério e aceita Verdades sempre que tem certeza que foram reveladas por Deus. O espírita proclama que não há mistérios e tudo o que a mente humana não pode compreender é falso e deve ser rejeitado.

O católico instruído crê que Deus pode e faz milagres. O espírita rejeita a possibilidade de milagres e ensina que Deus também deve obedecer as leis da natureza.

O católico crê que a Bíblia foi inspirada por Deus e, portanto, não pode conter erros em questão de fé e moral. O espírita declara que a Bíblia está cheia de erros e contradições e que esta nunca foi inspirada por Deus.

O católico crê que Jesus enviou o Espírito Santo aos apóstolos e seus sucessores para que pudessem transmitir fielmente a sua doutrina. O espírita declara que os apóstolos e seus sucessores não entenderam os ensinamentos de Cristo e que tudo quanto transmitiram está errado ou foi falsificado.

O católico crê que o papa, sucessor de São Pedro, é infalível em questões de fé e moral. O espírita declara que os papas só espalharam o erro e a incredulidade.

O católico crê que Jesus instituiu a Igreja para continuar a sua obra. O espírita declara que até a vinda de Allan Kardec, a obra de Cristo estava inutilizada e perdida.

O católico crê que Jesus ensinou toda a Revelação e que não há mais nada para ser revelado. O espírita proclama que o Espiritismo é a terceira revelação, destinada a retificar e até mesmo substituir o Evangelho de Cristo.

O católico crê no mistério da Santíssima Trindade. O espírita nega esse augusto mistério.

O católico crê que Deus é o Criador de tudo, Ser pessoal, distinto do mundo. O espírita afirma que os homens são partículas de Deus (verdadeiro panteísmo).

O católico crê que Deus criou a alma humana no momento de sua união com o corpo. O espírita afirma que nossa alma é resultado de lenta e longa evolução, tendo passado pelo reino mineral, vegetal e animal.

O católico crê que o homem é uma composição substancial entre corpo e alma. O espírita afirma que é composto entre perispírito e alma e que o corpo é apena um invólucro temporário, um “alambique para purificar o espírito”.

O católico obedece a Deus que proibiu a evocação dos mortos. O espírita faz desta evocação uma nova religião.

O católico crê na existência de anjos e demônios. O espírita afirma que não há anjos, mas espíritos evoluídos e que eram homens; que não há demônios, mas apenas espíritos imperfeitos que alcançarão a perfeição.

O católico crê que Jesus Cristo é verdadeiramente o Filho Unigênito de Deus, Segunda Pessoa da Santíssima Trindade. O espírita nega esta verdade fundamental da fé cristã e afirma que Cristo era apenas um grande médium e nada mais.

O católico crê também que Jesus é verdadeiro homem, com corpo real e alma humana. Grande parte dos espíritas afirma que Cristo tinha apenas um corpo aparente ou fluídico.

O católico crê que Maria é a Mãe de Deus, Imaculada e assunta ao céu. O espírita nega e ridiculariza todos os privilégios de Maria.

O católico crê que Jesus veio para nos salvar, por sua Paixão e Morte. O espírita afirma que Jesus não é nosso Redentor, mas apenas veio para ensinar algumas verdades e de modo obscuro; e que cada pessoa precisa remir-se a si mesma.

O católico crê que Deus pode perdoar o pecador arrependido. O espírita afirma que Deus não pode perdoar os pecados sem que se proceda rigorosa expiação e reparação feita pelo próprio pecador, sempre em novas reencarnações.

O católico crê nos Sete Sacramentos e na graça própria de cada Sacramento. O espírita não aceita nenhum Sacramento, nem mesmo o poder da graça santificante.

O católico crê que o homem vive uma só vez sobre a Terra e que desta única existência depende a vida eterna. O espírita afirma que a gente nasce, vive, morre e renasce, e progride continuamente (reencarnação).

O católico crê que após esta vida exista o céu e o inferno.O espírita nega, pois crê em novas reencarnações.

Texto do Frei Boaventura Kloppenburg, O.F.M.

 
Rádio Fraternidade
Campanha Maio

5%
Infelizmente não
fechamos a Campanha de
Abril. Reze por nós!
Conto com sua 
ajuda para finalizar o
Tabernáculo de Deus. 
Pe.Ladislau Molnár. 

Pesquisa no Site
Mensagens da Bíblia
Dize ao Senhor: Sois meu refúgio e minha cidadela, meu Deus, em que eu confio. (Salmo 90, 2)
Eventos